O sonho de ter uma empresa: quando começa e quando acaba?

O empreendedorismo é um sonho na mente de muitos brasileiros. Seja em um projeto antigo, formulado e planejado, seja como um plano b na carreira, vindo de uma ideia repentina, seja como uma grana extra ou em busca de uma virada na vida, na realização de projetos pessoais, profissionais e familiares.

Sonho que leva muitas pessoas a investirem tempo e dinheiro nas suas ideais, tempo aquele, que algumas vezes nem se tem, e dinheiro, que também as vezes nem se pode gastar. Além de sacrificarem momentos, conquistas, relacionamentos, tudo em busca do sucesso do seu empreendimento.

Mas, muitas vezes, este sonho acaba antes do esperado. Segundo uma pesquisa divulgada em 2016 pelo portal UOL Economia, a cada 10 empresas abertas no Brasil, 6 fecham em menos de 5 anos.

Você pode até pensar que este recente resultado negativo das empresas em nosso país, é fruto da recessão política e econômica que nos últimos anos vem trazendo obstáculos e criando problemas para os empreendedores. Mas, de acordo com as estatísticas, este problema não é de hoje.

Segundo estudo divulgado pela revista Exame, mais de 2 milhões de empresas foram cadastradas no estado de São Paulo de 1999 a 2008, porém, durante este mesmo período, mais de 1 milhão e 600 mil empresas fecharam as portas.

O que aconteceu com o sonho?

O sonho, muitas vezes, ainda prevalece na mente e no coração dos empreendedores, mesmo vendo seu negócio a beira das ruínas. Porém, obviamente, em um processo de falência, os obstáculos para a retomada do crescimento se tornam cada vez maiores e as dificuldades fazem com que a desistência seja uma das saídas.

Inclusive, na grande maioria dos casos, não se trata apenas de um sonho em particular, um negócio familiar ou somente isso, há também os funcionários, suas famílias e muitas responsabilidades em volta disso. Itens que pesam em cada decisão a ser colocada.

Pensando nisso, selecionamentos 3 dicas fundamentais para o empreendedor que está passando por dificuldades e busca, neste momento, um novo meio de voltar ao crescimento.

# Aceitar os fatos

O primeiro, é claro, aceitar os fatos. Todo empreendedor passa por momentos difíceis. Contudo, deve manter o foco naquilo que acredita, no propósito que o levou a empreender e move toda a empresa. Erguer a cabeça, entender a complexidade da situação e montar estratégias para sair dela é fundamental.

# Dinheiro não é tudo

A primeira ação de um empreendedor em uma possível crise, muitas vezes, é cortar custos e medir novos investimentos. Não que isso não seja necessário, mas deve ser feito com extrema cautela. O objetivo é a retomada do crescimento, então, é preciso focar estratégias para isso.

Unir a equipe, motivar os funcionários e criar possibilidades de aumento da receita são exemplos de fatores fundamentais, tão quanto economizar naquilo que é possível economizar, ou seja, fazer o mesmo, com a mesma qualidade, gastando menos.

Nós escrevemos um artigo sobre como alcançar resultados positivos apesar da crise, leia agora

# Foco

As estratégias utilizadas em um momento de turbulência na empresa são geralmente mais agressivas e inovadoras, então necessitam de uma dose extra de foco do começo ao fim deste período, e por parte de todos. Sendo assim, é preciso liderança e muita troca de conhecimento.

Com muita força de vontade e estratégias sólidas é possível deixar os obstáculos para trás, alcançar resultados positivos e retomar o crescimento da empresa, mantendo vivo o mesmo sonho do início, e vencendo estes períodos de crise.

Spread the love